Moldagem e Escaneamento – a evolução da prótese e da dentística

Compartilhe:

A moldagem é quase uma arte que se aprende com muito treino e repetição. Quem acha que basta misturar o pozinho com água, tacar na moldeira e enfiar na boca do caboclo, está completamente enganado. Existe a escolha do material, seleção da moldeira, espatulação com respeito às proporções, tempo de trabalho, inserção correta e a posição da cadeira. Até a temperatura do ambiente interfere na moldagem. Nos últimos anos fomos agraciados com softwares e hardwares para escaneamento dental – ferramentas revolucionárias e cada vez mais precisas. Bem vindos ao mundo da Odontologia digital.

Sabe quando você assiste ao jornal na televisão e eles fazem uma reportagem sobre a impressão 3D, modelos digitais e aquilo parece ser algo que pertence a um futuro não muito distante? Na Odontologia isso já é presente. Aliás, já faz parte do dia a dia do dentista há alguns anos. Escaneamento bucal, digitalização dos prontuários, planejamento digital, impressão 3D, fresagem automatizada, entre outras termos já são largamente utilizados no Brasil e no mundo. A expressão que você mais vai ouvir por aí em cursos e congressos é o “workflow digital”. Uma nova maneira de se organizar para ganhar tempo, segurança, precisão e otimizar atendimentos.

Ainda percebemos uma certa resistência às novas tecnologias pelo (ainda) alto investimento financeiro e pela curva de aprendizado. Muitas vezes o cirurgião dentista não quer “mexer em time que está ganhando”. Sua rotina já se acostumou aos processos “básicos e triviais” e não parece ser uma boa ideia sair da zona de conforto. Isso é muito comum e cada um vai ter o seu tempo. O fato é que alguns especialistas afirmam que a moldagem e o tratamento analógico vão sumir de vez um dia. Serão apenas utilizados para casos pontuais. Enfim, do jeito que essa tecnologia vem melhorando, a tendência é mesmo a total migração do cirurgião dentista para os processos digitais.

As vantagens são inúmeras quando comparamos métodos convencionais com os digitais no campo da prótese dentária:

- Economia de tempo com diminuição do número de consultas;
- Possibilidade de atendimento de mais pacientes já que alguns horários serão liberados;
- Economia em materiais – você vai deixar de gastar com alginato, siliconas de adição, condensação e gesso;
- Menos geração de lixo;
- Diferencial no marketing da clínica – o escâner é um chamariz e mostra diferencial;
- Guarda de arquivos digital, sem necessidade de lotar armários com caixas e caixas de prótese;
- Planejamento digital com possibilidade de uso de ferramentas como o DSD – Digital Smile Design;
- Maior precisão;
- Maior previsibilidade;
- Se você tiver a fresadora na própria clínica – dentes prontos em 15 minutos;
- Possibilidade de fazer dentes provisórios na hora;
- Fim de problemas de ânsia de vômito de pacientes que são sensíveis a moldagem convencional;
- Possibilidade de reabilitações com utilização de cirurgia guiada seguindo e replicando seu planejamento digital.
As desvantagens também existem:
- Investimento alto em equipamentos – hoje várias empresas estão lançando seus escâners bucais, aumentando a concorrência e causando uma leve queda do preço;
- Custo mensal para utilização dos programas – alguns sistemas são fechados e você vai precisar adquirir uma licença e pagar mensalmente para utilizar, ou por planejamento ou ainda pagar pelo backup de arquivos;
- Curva de aprendizado;
- Você vai precisar ter maior precisão nos seus preparos dentários e adequá-los a tecnologia digital – arestas mais arredondadas;
- Possivelmente, investimento em uma lupa de aumento.

O mais bacana de tudo nesta fase da Odontologia em que vivemos é que podemos mesclar técnicas. É possível moldar de forma convencional e vazar o gesso para adquirirmos um modelo. Enviá-lo para o laboratório. Até aqui utilizamos apenas métodos convencionais. Então, o laboratório pode, à partir daí, tornar esse projeto digital, escaneando o modelo e fazendo as peças como copings, núcleos e coroas com fresadoras que seguem projetos digitais. Ou ainda, o dentista pode escanear uma boca e se quiser ter o modelo físico em mãos, mandar imprimir em uma impressora 3D e trabalhar em cima dele.

Os processos estão mudando drasticamente e quem não pegar esse bonde pode ficar para trás. A Odontologia digital chegou para ficar e nos trazer inúmeros benefícios e economia de tempo. Sobra mais tempo para atender mais pacientes ou ainda para você aproveitar para descansar um pouco dessa rotina maçante. E você? Já abraçou o mundo digital na Odontologia?

Fonte: Dicas Odonto. Disponível em: http://dicasodonto.com.br/2019/05/29/moldagem-e-escaneamento-a-evolucao-da-protese-e-da-dentistica/. Acesso em: 05/09/2019.