Manual de atendimento às crianças e adolescentes orienta atendimento de odontopediatras em casos de violência

Compartilhe:

Os profissionais da saúde podem ajudar a identificar e denunciar casos de maus tratos aos pacientes menores de idade. Para orientá-los sobre a conduta a ser tomada nesses casos, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP) criaram o Manual de atendimento às crianças e adolescentes vítimas de violência. O material está em sua segunda edição.

Responsável pela coordenação do manual, em conjunto com Renata Dejtiar Waksman e Luci Pfeiffer, o médico Mário Roberto Hirschheimer explica que o conteúdo visa esclarecer a forma correta de fazer o encaminhamento jurídico e prestar atendimento ético nos casos de violência.

“O desafio foi integrar os conhecimentos médico-científicos, jurídicos e de gestão à sensibilidade ética e humanitária numa única abordagem”, conta Hirschheimer. Segundo ele, 3 mil exemplares foram produzidos e distribuídos para as associações do setor de saúde.

No caso da Odontologia, a presidente da Câmara Técnica de Odontopediatria do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP), Sylvia Lavínia Ferreira, que colaborou com o Manual, destaca que o odontopediatra, em especial, deve estar atento aos casos de agressão contra a criança e o adolescente. “Nós, Cirurgiões-Dentistas, poderemos nos deparar com uma situação destas a qualquer momento. O importante, como o Manual mostra, é trabalharmos de forma integrada pelo bem-estar físico, psíquico e emocional da criança, que é indefesa. Ela precisa ser acolhida e tratada de maneira adequada”, aponta Sylvia.

O manual também pode ser acessado nos sites da Sociedade Brasileira de Pediatria e do Conselho Federal de Medicina.

Fonte: Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas – APCD. Disponível em: http://www.apcd.org.br/index.php/noticias/1405/em-foco/23-04-2019/manual-de-atendimento-as-criancas-e-adolescentes-orienta-atendimento-de-profissionais-da-saude-em-ca. Acesso em: 31/07/2019.