Terapia fotodinâmica para o tratamento da halitose

Compartilhe:

Halitose é o termo utilizado para designar um odor desagradável que emana da cavidade oral ou respiração. Sua origem principal é intraoral, sendo 51% dos casos relacionados à presença da saburra lingual, resultado da degradação de substratos orgânicos por bactérias anaeróbicas e pela produção de compostos sulfurosos voláteis (CVS).

Acredita-se que a fonte primária de exalação destes compostos seja na parte posterior da língua. O tratamento convencional da halitose consiste na remoção química e mecânica dos microrganismos com enxaguatórios e raspadores. Hoje novos estudos vêm utilizando a terapia fotodinâmica antimicrobiana (aPDT) também para este fim.

A terapia fotodinâmica antimicrobiana (aPDT) envolve a utilização de um corante que interage com uma fonte de luz em um comprimento de onda específico que apresenta uma ação antimicrobiana.

Para o tratamento da halitose, utiliza-se como corante o azul de metileno a 0,005% no dorso posterior da língua, permanecendo por cinco minutos (tempo de pré-irradiação). Em seguida, o laser de baixa intensidade em um comprimento de onda de 660nm é aplicado em seis pontos, em uma potência de 100mW e energia de 9J, totalizando 90 segundos por ponto.

Os estudos recentes mostraram que esta terapia como ou não coadjuvante ao tratamento convencional mostrou resultados imediatos muito satisfatórios.
Pacientes que são acometidos pela halitose normalmente apresentam grande dificuldade de convívio social, e a aPDT vem como uma nova alternativa de baixo custo, indolor e sem efeitos colaterais, para auxiliar na resolução desses casos.

Fonte: Local Odonto. Disponível em: https://localodonto.com.br/terapia-fotodinamica-para-o-tratamento-da-halitose/. Acesso em: 06/02/2019.