Notícias

Aqui você confere todas as notícias do ramo odontológico.

Humanização e comprometimento: fatores-chave da Odontologia

Notícias

Humanização e comprometimento: fatores-chave da Odontologia

Se o seu consultório ou clínica têm procedimentos que levam o cliente a sentir que você:
- Os obriga a seguir procedimentos inconvenientes;
- Se recusa a passar informações e orientações;
- Rejeita pedidos legítimos de ajuda;
- Tenta empurrar serviço para eles.

Então, provavelmente, a percepção final de seus clientes é a de que você cobra caro. Veja como o marketing é interessante: quanto mais você diminui a percepção de custo, mais consegue aumentar a percepção de valor. E se tem valor, quanto se paga vale a pena, pois os clientes ficam com a impressão levar vantagem, e eles adoram isso.

Assim, a partir de hoje, seu maior desafio é não deixar que seu negócio desenvolva uma forma de trabalhar que seja boa para quem trabalha, mas sim para quem paga pelo serviço entregue. Quantas vezes você viu alguém que foi atendido na área da saúde dizer que foi processado como gado (hospitais são bons exemplos)? Pois, muitas vezes, a sensação é exatamente esta.

Fuja da mentalidade de produção, reestruture para servir. Para isso, tenha atenção para que a sua equipe não cometa erros, tais como apatia, frieza, condescendência, portar-se como robô, causando a impressão de que ela segue livros de regras, sendo sempre do contra ou apenas evasiva.

Boa parte dos seus clientes atuais provém do boca a boca. Quem entrega serviços depende muito desta forma de crescimento, mas o boca a boca nasce da percepção de valor. Assim, a humanização no atendimento, o comprometimento, a atenção e, principalmente, a capacidade de ser empático fazem muito mais sucesso no boca a boca do que a boa técnica, ainda que isto não possa faltar de maneira nenhuma.

É importante prestar atenção, pois a dose de humanização, comprometimento, atenção e empatia deve variar de acordo com o público-alvo. Os mais jovens nem gostam de tanta atenção, mas adoram que você reconheça sua individualidade (empatia). Os mais velhos, pelo contrário, desejam atenção exagerada em forma de longas conversas, nem sempre possíveis para o profissional, mas talvez viável na figura de um profissional de relações públicas.

Pense sobre isso e cuidado para não automatizar demais o seu negócio na saúde. As pessoas esperam mais do que um bom processo de atendimento clínico.

fonte: inpn, escrita por Cláudio Gór Gonçalves
imagem retirada de http://organizacoesdesaude.blogspot.com.br/2009/11/profissoes-na-area-de-saude.html