O que é aumento de coroa clínica?

Compartilhe:

Durante a visita ao dentista, recebe-se a noticia de que é preciso fazer uma cirurgia chamada aumento de coroa clinica. O que isso significa? Para entender a necessidade dessa pequena cirurgia gengival é preciso, primeiramente, entender o conceito de Espaço Biológico Periodontal.

Espaço Biológico Periodontal

O Espaço Biológico Periodontal é uma região que fica entre a base do sulco gengival e o topo da crista óssea alveolar, tendo de 2 a 3 milímetros. É importante que, ao se restaurar um dente ou fazer uma coroa, esse espaço seja respeitado, pois disso depende a saúde da gengiva. Antes de o dente ser restaurado é preciso recuperar o Espaço Biológico.

O que é aumento de coroa clínica?

É uma cirurgia que, geralmente, precisa ser feita para recuperar o Espaço Biológico Periodontal. O aumento de coroa clínica não é uma cirurgia específica, mas uma série de possíveis procedimentos que levam à recuperação do Espaço Biológico (aqueles 2 a 3 milímetros entre a margem da restauração ou coroa até o topo da crista óssea). Cada caso é um caso, então é preciso avaliar cada situação separadamente para se decidir qual estratégia será utilizada.

Quais os tipos de aumento de coroa clínica?

A recuperação do Espaço Biológico pode exigir vários tipos de procedimentos. Pode ser necessário remover só gengiva, pode ser necessário remover gengiva e um pouco de osso em volta do dente e, ainda, o dente pode ser “puxado” para fora da gengiva com o uso de aparelho ortodôntico. Às vezes a remoção do osso ao redor do dente é contraindicada por questões de estética, algo muito comum em dentes anteriores, por exemplo. Neste caso, ao invés de remover osso e gengiva, pode-se fazer a extrusão ortodôntica do dente / raiz. Durante o processo de extrusão (quem faz isso é o ortodontista), o dentista realiza sessões de fibrotomia e raspagem, com o objetivo de manter a margem gengival e a crista óssea em suas posições.

Fonte: Medo de Dentista. Disponível em: http://medodedentista.com.br/2016/09/o-que-e-aumento-de-coroa-clinica.html. Acesso em: 22/09/2016.