Alveolite é nome que se dá à infecção e ou inflamação do alvéolo, o “buraco” que ficou depois da extração de um dente.

Lembra quando você era criança e vivia de joelho ralado? Quando a gente corta ou esfola nossa pele forma-se uma crosta sobre ela, a famosa “casquinha”, que é um tecido de cicatrização que visa proteger o local do ferimento. Quando se extrai um dente, é parecido: nosso organismo procura fechar o alvéolo para protegê-lo de possíveis infecções e, também, da entrada de resíduos alimentares. E o que fecha o alvéolo é o coágulo, uma massa de sangue coagulado que aos poucos vai dando lugar ao tecido normal da região.

O coágulo só não é uma “casquinha” porque o ambiente bucal é úmido.

ALVEOLITE SECA

Na alveolite seca, o coágulo não se forma ou é removido, deixando o alvéolo vazio. As terminações nervosas ficam expostas, o que causa muita dor. Cuspir, bochechar ou beber de canudinho depois de uma extração dentária podem levar à perda do coágulo. Então não faça essas coisas.

ALVEOLITE PURULENTA

Já na alveolite purulenta (ou úmida) o alvéolo se apresenta cheio de pus. Geralmente a alveolite purulenta ocorre depois da alveolite seca. Pessoas que fumam e mulheres que usam contraceptivos orais (a pílula) têm mais chances de desenvolverem alveolite.

Fonte: Odontodivas. Disponível em: https://odontodivas.com/2017/10/dentista-minuto-38-alveolite.html. Acesso em: 10/09/2018.

 

Compartilhe: