A agulha gengival quebrou... e agora?

Compartilhe:

Quais motivos podem levar uma agulha a se soltar ou quebrar?

• Movimento brusco do paciente durante a anestesia;
• Defeito de fabricação;
• Agulha mal encaixada na seringa carpule;
• Dobras ou curvaturas na agulha feitos pelo profissional para ajudar na técnica anestésica;
• Agulhas muitas vezes esterilizadas perdem a dureza do metal (isso hoje em dia não acontece mais, pois utilizamos agulhas descartáveis).

Como evitar?

Sempre devemos nos utilizar da melhor técnica anestésica e a agulha de tamanho e calibre indicados para a técnica escolhida. Temos que ter em mente que nunca devemos introduzir a agulha inteira no tecido, devemos inserir no máximo 2/3 da agulha.

Quebrou, e agora? O que fazer nessa hora? como remover o fragmento?

Primeiro de tudo, tentar manter a calma, isso é muito importante. Oriente o paciente a não se movimentar, não devemos retirar a mão da boca do paciente, sempre mantendo-a aberta.

Se o fragmento for visível, remova-o com uma pinça hemostática. Se o fragmento da agulha estiver perdido e não puder ser removido imediatamente, não devemos fazer incisão ou sondagem; devemos informar calmamente ao paciente e tentar reduzir o medo e a apreensão.

Anote o ocorrido na ficha do paciente, guarde o fragmento remanescente e encaminhe o paciente para um cirurgião bucomaxilofacial, ele(a) irá pedir exames radiográficos para avaliar se a agulha está superficial ou mais profunda para então decidir o que fazer. Pode-se tentar retirar ou optar por deixar que o fragmento da agulha permaneça onde está. Aí será feito o acompanhamento radiográfico para saber se essa agulha está se movendo ou se vai ocorrer o seu encapsulamento.

Fonte: Odontodivas. Disponível em: https://odontodivas.com/2017/05/agulha-gengival-quebrou-e-agora.html. Acesso em 20/12/2018.