10 dicas para você não passar apuros com implantes dentários

Compartilhe:

Um cirurgiã-dentista precavido vale por dois! Em todos os nossos procedimentos precisamos tomar inúmeros cuidados. Certamente, no âmbito da Implantodontia não é diferente. O planejamento nos dará os prováveis caminhos que podemos seguir com maior segurança. Porém, precisamos estar prontos para qualquer desvio que possa aparecer. Às vezes, o implante não trava como desejamos, ou uma parede óssea desmorona durante o preparo do leito.

Mas, não se preocupe! Abaixo, você poderá conferir 10 dicas que vão garantir o bom andamento do caso quando alguma coisa sai fora do script.

1. Tomografia computadorizada para planejamento de implantes
Hoje é inaceitável planejar implantes com a panorâmica apoiada na janela da clínica. Você vai instalar um parafuso no osso do paciente para o resto da vida dele. Planeje tudo nos mínimos detalhes, sempre solicite uma tomografia computadorizada para planejamento de implantes, evite surpresas no dia da cirurgia e cobre bem por isso.

2. Tenha todo material em dobro e estéril
Sim senhores. Dois motores, dois contra ângulos, dois kits cirúrgicos, duas caixas de cirurgia. A gente sabe que para instalar implantes, é preciso seguir uma sequência de fresas. E se por um acaso, uma delas escapar da sua mão e cair no chão? E se o contra ângulo travar ou o motor pifar no meio do procedimento? Tenha tudo esterilizado, bonitinho.

Não adianta ter na gaveta, se você não pode usar. Implantodontia demanda um investimento inicial pesado e aos poucos você vai adquirindo mais materiais. Ter fusíveis sobressalentes e adaptadores de tomadas também são úteis para aqueles dentistas que operam fora do seu consultório. Ter dois motores pode parecer exagero, mas se qualquer coisa der errado no meio da cirurgia, você vai ter que abortar, fechar e marcar seu paciente para outro dia. Com certeza, ele não vai ficar contente.

3. Lubrifique e cuide dos seus contra-ângulos como se fossem joias
Contra-ângulo bem cuidado e de marca boa, dura a vida inteira. Ensine a sua auxiliar a desmontar e lubrificar exatamente como o fabricante manda, aqueles que demandam esse cuidado. Além disso, leia atentamente o manual do equipamento. Não deixe cair no chão e não jogue água corrente diretamente no encaixe.

4. Tenha sempre um plano B e um plano C no seu planejamento
Por mais minucioso que seja nosso planejamento, temos que ter flexibilidade para mudá-lo, caso a região cirúrgica se mostre diferente do que vimos na tomografia; Acontece. Tenha sempre 2 ou 3 opções de comprimentos e larguras de implantes.

5. Escolha empresas de implantes gabaritadas e que respeitem prazos de entrega
Não há nada pior que ficar ligando atrás de uma empresa de implantes que não entrega peças no prazo, que não tem uma política de trocas decente e que não sabe fidelizar o cliente. Afinal, o paciente não quer saber se a peça que vai em cima do implante dele está em falta. Dessa forma, é muito importante que você escolha uma empresa parceira. Mas, cuidado com aquelas que são super solícitas na hora de vender os kits cirúrgicos e protéticos e depois deixam você na mão na hora que você precisa de soluções protéticas.

6. Termo de consentimento informado
As reabilitações com implantes dentários têm inúmeras variáveis e os pacientes devem ser informados sobre intercorrências e limites dos tratamentos. Em resumo, tenha um Termo de Consentimento Informado assinado por todos os pacientes. Faça consultas iniciais longas para ter tempo de explicar todos pormenores, apresentar seu plano e o que pode dar errado. Entregue informativos por escrito aos seus pacientes com orientações pré e pós-operatórias.

7. Não opere sozinho
Uma auxiliar em saúde bucal é fundamental no momento da cirurgia de implante. O cirurgião-dentista precisa enxergar o campo operatório, instalar implantes milímetro a milímetro, ver crista óssea em meio a saliva, sangue e soro. Além disso, a visão da pessoa do lado oposto à sua ajuda a acertar o paralelismo e achar o melhor posicionamento tridimensional do implante.

8. Opere com tempo de sobra
Geralmente as cirurgias bem planejadas são redondas e até rápidas. Entretanto, se houver alguma intercorrência, é bom que haja tempo hábil para resolvê-la com calma. Com tempo é possível montar todo o campo e a mesa cirúrgica, revisar o planejamento e fazer tudo sem pressa. Por certo, ainda sobra um tempo para conversar com o paciente no pós-operatório para acalmá-lo e orientá-lo.

9. Tenha o laboratório de prótese como um aliado
Querendo ou não, implante é uma prótese com uma cirurgia no meio do caminho. Isso torna o laboratório de prótese um grande responsável pelo seu sucesso também. Vá visitar o laboratório, conhecer os técnicos e ver como trabalham.

Seja claro na sua comunicação e envie os componentes que você deseja utilizar. Evite laboratórios que utilizam peças “similares” ou piratas, feitas em fundos de quintal. Se qualquer coisa acontecer com o dente sobre o implante, a responsabilidade é do cirurgião dentista sempre.

10. Não invente, não entre na ansiedade de alguns pacientes
Algumas vezes a gente tem vontade de tentar uma solução mirabolante que fica a margem de toda literatura. Queremos ajudar, dar dentes fixos aos pacientes. Entretanto, nem sempre os implantes são indicados. Às vezes, na melhor das intenções, acabamos nos metendo em enrascadas. Também não é prudente adiantar as próteses sobre implante baseado nos compromissos dos pacientes – “tenho que viajar”, “tenho uma festa”, “preciso deste dente para o mês tal”. Respeite a biologia para não ter surpresas desagradáveis.

Fonte: Blog Dental Cremer. Disponível em: http://blog.dentalcremer.com.br/10-dicas-para-voce-nao-passar-apuros-com-implantes-dentarios/. Acesso em: 23/04/2019.